Sustentabilidade e meio ambiente são fatores decisivos na compra de cosméticos



A crescente mudança na decisão de compra dos consumidores de cosméticos, que tem procurado por empresas, grandes ou pequenas, que investem em práticas sustentáveis e produtos naturais e veganos


Mais de 80% dos consumidores latino-americanos afirmam que certamente ou provavelmente mudariam seus hábitos de consumo para minimizar seu impacto no meio ambiente. Nos últimos anos, os compradores em todo o mundo começaram a compreender que seu poder de compra pode fazer a mudança acontecer.


Os consumidores estão pedindo que as empresas mostrem seus valores, recompensando aquelas que se alinham com seus valores. Sobre esse cenário em mudança, descobriu-se que 83% dos consumidores agora preferem o ativismo positivo – apoiar as empresas ao comprar delas, em vez de evitar aquelas cujas práticas discordam.


No mundo hiper conectado de hoje, onde as decisões de compra são tão influenciadas pela mídia social quanto pela publicidade, o impacto do apoio do consumidor na reputação de uma marca é imenso. E embora o ativismo do consumidor assuma muitas formas, é cada vez mais o desempenho ambiental e de sustentabilidade das empresas que os compradores estão aprimorando.


A transformação parece estar apenas começando, pois os consumidores não querem mais simplesmente produtos sustentáveis – eles querem que as empresas das quais estão comprando sejam sustentáveis em todas as suas operações corporativas. Essa tendência é ainda mais evidente na América Latina do que em outras regiões do mundo, em grande parte porque o impacto da mudança climática já está se fazendo sentir – do derretimento das geleiras andinas a eventos climáticos extremos, como os causados pelas queimadas no Brasil, por exemplo.


Existe outro fator que leva ao aumento da consciência do consumidor em relação à sustentabilidade. A pandemia da Covid-19 demonstrou inequivocamente a relação entre os seres humanos e o mundo natural, bem como o grau em que todos na Terra estão interligados. Como resultado, para os consumidores, a agenda da sustentabilidade ganha nova importância.


Uma pesquisa recente realizada pela empresa de consultoria BCG constatou que 9 em 10 consumidores entrevistados disseram estar tão ou mais preocupados com as questões ambientais após o surto do vírus e quase 95% disseram acreditar que suas ações pessoais poderiam ajudar a reduzir o lixo insustentável, combater as mudanças climáticas e proteger a vida selvagem e a biodiversidade. Quase um terço disse que essa crença havia se fortalecido como resultado da crise.


Fonte: Atlas Renewable Energy

Destaque
Siga
  • Siga-nos no Instagram
  • Siga-nos no Facebook
Posts Recentes
Arquivo